De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

Rio de Janeiro, além do bondinho e do Cristo Redentor

Quem escreveu

Kamille Viola

Data

05 de February, 2018

Share

Os botequins, em especial os pés-sujos, são uma marca carioca. Embora estejam cada vez mais raros na Zona Sul, ainda é possível encontrar boas biroscas pela região, com aquele clássico ovo colorido no balcão, a boa e velha cerveja de garrafa retornável e petiscos tão gordurosos quanto saborosos. Mas a cidade também tem restaurantes de alta gastronomia, com chefs famosos à frente. Em 2017, seis ganharam uma estrela do prestigiado Guia Michelin (Laguiole, Lasai, Mee, Olympe e Oro, além do Eleven, que fechou) e outros dez foram incluídos na categoria Bib Gourmand, com boa cozinha a bom preço (um deles, o Entretapas, também encerrou as atividades).

Centro

Xian: O topo de um antigo prédio da extinta Varig, hoje ocupado por um shopping, abriga o recém-aberto espaço, que reúne restaurante, lounge e, futuramente, área externa para shows e clube noturno. Vizinho ao aeroporto Santos Dumont, o Xian tem vista de tirar o fôlego: a varanda mostra a Baía de Guanabara emoldurada pelo Corcovado e o Pão de Açúcar. A casa tem tem drinques criados e preparados por Rod Werner (ex-Oro e Lasai), menu de inspiração asiática criado por Flávio Myamura e Daisuke Takao (que continua na casa como chef executivo), carta de saquês da sommelière Sonia Yamane e sobremesas da chef pâtissier Dianna Macedo. O lugar faz parte do grupo BestFork, o mesmo de Laguiole e Giuseppe Grill, que ainda este ano abre mais dois restaurantes no Rio. Bossa Nova Mall. Rua Almirante Silvio de Noronha, 365/terraço – Centro. Tel.: (21) 2303-7080. Segunda a quinta, das 12h às 23h. Sexta e sábado, das 12h à 0h. Domingo, das 12h às 22h.

A vista de um dos bares do Xian. Foto: divulgação/Tomás Rangel

Santa Teresa

Adega do Pimenta: restaurante de comida alemã tradicional, abriu suas portas há mais de 20 anos. As especialidades são o kassler, costela de porco cozinha e defumada, acompanhada de batatas coradas ou chucrute, ou o joelho de porco defumado e grelhado com batatas coradas. Para começar, vá de croquete de carne acompanhado de chopp bem gelado. R. Almirante Alexandrino, 296 – Santa Teresa (tem também uma filial na Praça Tiradentes, 6 – Centro). Tel: (21) 2224-7554. Horário: Segunta a sexta, das 12h às 22h. Sábado, das 12h às 20h. Domingo, das 12h às 18h.

Aprazível. Foto: Divulgação
Aprazível. Foto: Divulgação

Aprazível: O Aprazível é quase um cartão-postal do Rio de Janeiro. O restaurante fica num casarão antigo em Santa Teresa, um dos bairros cariocas mais charmosos. Quem vai almoçar ou jantar tem de brinde a vista da Baía de Guanabara. Arborizado, o local faz juz ao nome, já que é bem tranquilo. A cozinha é comandada pela mineira Ana Castilho, que remete às suas origens nos pratos que cria, utilizando ingredientes nacionais, muitos alimentos orgânicos vindos de diferentes partes do Brasil, misturando a cozinha brasileira e a internacional. É bom fazer reserva antes de ir. Rua Aprazível, 72 –Santa Teresa. Tel: (21) 2508 9174. Horário: Terça a sábado das, 12h às 23h. Domingo, das 12h às 18h.

Térezè. Foto: Divulgação
Térezè. Foto: Divulgação

TérèzeUma das experiências gastronômicas mais exclusivas (e caras) da cidade, fica dentro do Hotel Santa Teresa, que ficou famoso por ter recebido Amy Winehouse e Snoopy Dog. Se você tiver uns reais a mais para gastar, vale investir nessa mistura de cozinha brasileira com francesa. Existe um bar específico de cachaças e a decoração é charmosa e elegante, sendo emoldurada pela vista para a Baía de Guanabara de brinde. Vale guardar para aquele dia especial, mas é sugerido fazer reserva. Hotel Santa Teresa. Rua Felício dos Santos, 15 – Santa Teresa. Tel: (21) 3380-0220. Horário: Diariamente, das 7h às 22h30.

Restaurante Nordestino Café do Alto: para quem quer se aventurar pela cozinha do Nordeste, o Café do Alto é uma ótima opção. Ambiente animado com música da região e bufê com pratos tradicionais do café da manhã ao jantar. Largo do Guimarães, 143 – Santa Teresa. Tel: (21) 2507-3172. Horário: Segunda, das 12h às 20h. Terça a sexta, das 12h às 22h. Sábado, domingo e feriado, das 9h às 22h.

Zona Norte

Aconchego Carioca: O bolinho de feijoada do Aconchego é um poema. O petisco foi copiado Rio afora, mas ninguém conseguiu atingir a perfeição da criação de Kátia Barbosa. Enquanto a receita conquistava o coração dos cariocas, a casa cresceu e passou a atrair para a Praça da Bandeira os moradores da Zona Sul, que em geral não costumavam atravessar o Túnel Rebouças para comer. Hoje, o Aconchego tem sempre fila na porta, ganhou como vizinhos ótimos estabelecimentos, é comandado por Kátia e sua filha, Bianca Barbosa, e seu cardápio tem muitas outras delícias, como a almofadinha (pasteizinhos com massa de tapioca). Para acompanhar a comilança, capirinhas de frutas diversas (como carambola, por exemplo) e uma extensa carta de cervejas, outro quesito em que a casa foi pioneira. O lugar, que virou referência e já recebeu visitas de nomes como Nigella Lawson e Ferran Adrià, ganhou uma filial no Leblon. Em breve, muda-se para outro imóvel na mesma rua, no número 235. Rua Barão de Iguatemi, 379 – Praça da Bandeira. Tel.: (21) 2273-1035. Horário: Terça a sábado, das 12h às 23h. Domingo, das 12h às 17h.

As gostosuras do Aconchego Carioca. Foto: Divulgação
As gostosuras do Aconchego Carioca. Foto: Divulgação

Zona Sul

Cosme Velho

Prana Cozinha Vegetariana: é atualmente um dos melhores restaurantes vegetarianos do Rio de Janeiro. Diariamente são servidas apenas duas opções de pratos e duas opções de lanche à tarde. Caso não queira perder a viagem, vá cedo, pois o lugar anda concorrido e, muitas vezes, às 14h os pratos já acabaram. Preço justo, cozinha criativa e atendimento bom também fazem parte da casa, que está praticamente do lado do bondinho que leva ao Corcovado (fica a dica!). Em setembro de 2017, ganhou uma filial no Jardim Botânico com o dobro do tamanho da loja original. Praça Rua Ererê, 11, Loja D, Praça São Judas Tadeu – Cosme Velho. Tel: (21) 2245-7643. Horário: Almoço diariamente, das 12h às 15h (o fim do horário do almoço pode ser antecipado devido à venda total dos pratos disponíveis no dia). Lanche de segunda a sexta, das 16h às 19h.

Prana. Foto: Divulgação
Prana. Foto: Divulgação

Flamengo & Botafogo

Café Lamas: Restaurante de bairro supertradicional fundado em 1874. O Lamas é daqueles lugares que têm garçons vestidos a caráter e que servem a comida fazendo uma espécie de pinça com duas colheres. Bife à milanesa com acompanhamento à francesa é uma das melhores pedidas da casa. Na sobremesa, vá de sundae com calda quente. Rua Marquês de Abrantes, 18 – Flamengo. Tel: (21) 2556-0229. Horário: Domingo a quinta, das 9h30 às 2h30. Sexta e sábado, das 9h30 às 3h30. Domingo a quinta, das 9h30 às 2h30. Sexta e sábado, das 9h30 às 3h30.

Irajá Gastrô. Foto: Alexandre Landau
Irajá Gastrô. Foto: Alexandre Landau

Irajá Gastrô: Fica na Conde de Irajá, rua que reúne alguns dos restaurantes mais interessantes da cidade e que batizou a casa. O Irajá ocupa uma casa do século XIX e tem à frente o chef Pedro Artagão (também responsável pela cozinha do Blue Note Rio, do Formidable, do Cozinha Artagão e do quiosque Azur), que deixa a sua marca em receitas como o filé à piemontesa reconstruído e o premiado bolo de brigadeiro quente com calda de baunilha, uma tentação. O restaurante também tem um menu degustação famoso — vale para um jantar especial. Rua Conde de Irajá, 109 – Botafogo. Tel: (21) 2246-1395. Horário: Segunda a quinta, das 12h às 15h30 e das 19h30 à 0h. Sexta, das 12h às 15h30 e das 19h30 à 1h30. Sábado, das 12h à 1h. Domingo, das 12 à 0h.

Naturalie Bistrô: Desde que inaugurou, no início de 2015, o Naturalie Bistrô vive concorrido. O hype não é sem motivo: comandado pela chef Natalie Passos, que abriu o restaurante com apenas 22 anos, o lugar é um charme e a comida, uma delícia. O cardápio, vegetariano, tem pedidas como a Feijoada Veggie (feita com abóbora e tofu defumado) e a Quinoa Thai (que combina cenoura, repolho-roxo e quinoa refogados na cebola e alho, cozidos no leite de coco, com amendoim e gergelim). A lasanha de abobrinha, superleve, é feita com a deliciosa ricota de cabra da Latteria Gialla, um verdadeiro achado do bistrô. Para completar, o restaurante fica numa casa tombada de dois andares em Botafogo, com decoração clean e aconchegante. O primeiro andar tem um mesão comunitário, à moda dos restaurantes americanos. Rua Visconde de Caravelas, 11 — Botafogo. Tel: (21) 2537-7443. Horário: Segunda a sábado, das 11h30 às 16h.

Miam Miam. Foto: RvonKruger Fotografia / Stefano Aguiar
Miam Miam. Foto: RvonKruger Fotografia / Stefano Aguiar

Miam Miam: Comandado pela chef Roberta Ciasca e o casal Danni Camilo e Stephane Quinquis, que também estão à frente do Oui Oui, o Miam Miam foi um pioneiro no gênero na cidade em confort food ao unir comida de alto nível, ambiente moderno e drinques criativos, tudo isso de forma bem descontraída. A casa comemorou dez anos em 2015. No mesmo ano, entrou para o Guia Michelin, na cateogoria BIB Gourmand, com comida de excelência a bons preços. Vale apostar no menu degustação, para provar de tudo um pouco. Rua General Góes Monteiro, 34 – Botafogo. Tel: (21) 2244-0125. Horário: Terça a sexta, das 19h às 0h. Sábados e feriados, das 20h à 1h.

Lasai: Tendo à frente o chef Rafa Costa e Silva, que trabalhou no Mugaritz, na Espanha (que já foi eleito o terceiro melhor do mundo pela revista The Restaurant), o Lasai fica na rua mais gastronômica de Botafogo, a Conde de Irajá. Aberto em 2014 num sobrado de 1902, em 2015 já ganhou uma estrela Michelin para chamar de sua. Os vegetais são em boa parte produção própria. Não há opção à la carte, apenas dois menus degustação: a R$ 295 (com entrada, principal e sobremesa) e R$ 345 (sequência de pelo menos catorze etapas montada pelo chef). Importante: o restaurante só trabalha com reserva.  Rua Conde de Irajá, 191 – Botafogo. Telefone: (21) 3449-1834. Horários: Terça a sexta, das 19h30 às 22h30. Sábado, das 13h às 14h30 e das 19h30 às 22h30.

Void: A filial de Botafogo da multimarcas descolada lançou uma cozinha Colaborativa, a House of Food, em dezembro de 2015. De lá para cá, mais de 740 encostaram a barriga no fogão, entre chefs conhecidos (como Elia Schramm), novatos e até artistas, como Marcelo Jeneci. O sucesso foi tanto que a calçada em frente ao espaço vive lotada e a Void abriu restaurantes em suas filiais da Barra (Entrevero, com Thiago Berton à frente da parrilla) e do Arpoador (Brota, vegetariano pilotado por Roberta Ciasca). R. Voluntários da Pátria, 31, loja C – Botafogo. Tel.: (21) 3593-3326. Domingo a quarta, das 11h30 à 1h30. Sábado, das 11h30 às 3h30.

Urca

Cota 200. Foto: Divulgação
Cota 200. Foto: Divulgação

Cota 200: Em maio de 2015, o Rio ganhou um restaurante em um dos principais cartões-postais da cidade: o Cota 200, no Morro da Urca. Com uma visão de 180º, a casa aposta em sabores brasileiros. À frente da cozinha, está a chef Denise Davidson, que criou receitas para o almoço, happy hour ou jantar. Entre as sugestões, pratos como o filhote coberto com farofinha de castanhas e purê de banana ao leite de castanha-do-pará, servido à noite. A carta de vinhos e cervejas especiais fica a cargo do premiado sommelier João de Souza: a adega tem mais de 200 rótulos. Assinada por Davi Cavalcante, a carta de drinques tem pedidas como o Pitanga Dodan, com vodca, cointreau, pitanga, limão, açúcar demerara e flor de sal, e o Gaia, que combina espumante e xarope artesanal de cupuaçu. Importante: para os clientes que fazem reserva, o ingresso para o Bondinho ao Morro da Urca já está incluído (sempre vale a ida). Av. Pasteur, 520 – Urca (Bondinho do Pão de Açúcar). Tel: (21) 2543-8200. Horário: Segunda e terça, das 12h às 19h. Quarta a domingo, das 12h à 0h.

Julius Brasserie. Foto: Divulgação
Julius Brasserie. Foto: Divulgação

Julius Brasserie: é um bistrô na Urca, onde a mesa mais disputada é na janela para apreciar a praia. A comida é ótima e tem ainda uma boa carta de vinhos. A influência da cozinha é europeia, com um cardápio com carnes de caça, saladas, massas e risotos. Não deixe de experimentar o magret de pato. A casa é comandada pela dupla Márcia Helena, brasileira, e o holandês Julius Bijslma. De terça a sexta é servido cardápio executivo com entrada, prato principal e café. Vale a investida. Av. Portugal, 986 – Urca. Tel: (21) 3518-7117. Horário: Terça a domingo, das 10 à 0h.

Copacabana & Ipanema

Bar do David. Foto: Alexandre Macieira|Riotur
Bar do David. Foto: Alexandre Macieira|Riotur

Bar do David: Bicampeão do concurso Comida di Buteco (em uma das edições, foi o vencedor da versão nacional da competição), o bar merece a visita. O atendimento simpático feito pelo próprio David já vale a subida da Ladeira Ary Barroso. Por lá, comidinha com toque nordestino, como feijoada de frutos do mar (a mais pedida), tropeiro carioca e croquete de frutos do mar, além de uma bela seleção de cervejas artesanais e cachaça. Vá sem pressa. Ladeira Ary Barroso, 66 – loja 3. Morro Chapéu Mangueira, Leme. Tel: (21) 7808-2200. Horário: Diariamente das 8 às 17h.

Shirley: a tradicional casa espanhola é imperdível se você gosta de frutos do mar, pois é uma das melhores do Rio. Tudo é incrível, as sardinhas, polvo ao vinagrete (hummm), a paella e o Badejo à Moda do Shirley, um dos destaques do cardápio. O restaurante data de 1954 e mantém sua qualidade desde então. Rua Gustavo Sampaio, 610 – Leme. Tel: (21) 2275-1398. Horário: Diariamente das 12 à 0h.

Azumi: Fiel às receitas tradicionais japonesas, desde o início dos anos 90, o Azumi é comandado por Isao Ohara e o filho, Hajime. O enorme cardápio pode espantar quem vai à casa pela primeira vez, pois são mais de cem itens, todos escritos (e descritos) em português e em japonês. Não espere nada com cream-cheese. Uma experiência imperdível. Rua Ministro Viveiros de Castro, 127 – Copacabana. Tel: (21) 2541-4294. Horário: Segunda a quinta e domingo, das 19h à 0h. Sexta e sábado, das 19h à 1h.

Le Blé Noir. Foto: Divulgação
Le Blé Noir. Foto: Divulgação

Le Blé Noir: O restaurante é especializado em crepes feitos com trigo sarraceno, típicos da Bretanha, perfeito para quem não pode ingerir glúten. Os crepes são deliciosos e bem-servidos, com uma diversidade incrível no cardápio (e ainda dá para montar o seu, personalizado). O clima é bem aconchegante, ótimo para um jantar romântico, mas também vai bem para grupos pequenos de amigos. A carta de vinhos é bem caprichada. Tem também uma filial na Barra da TijucaRua Xavier da Silveira, 19 – Loja A – Copacabana. Tel: (21) 2267-6969. Horário: Segunda a sexta, das 19h30 à 0h. Sábado, das 19h30 à 1h. 

Zazá Bistrô. Foto: Divulgação
Zazá Bistrô. Foto: Divulgação

Zazá Bistrô: O Zazá é, sem dúvida, o restaurante mais romântico do Rio. Instalado numa casa linda, bem decorada e cool até dizer chega, tem luz de velas, comida com ingredientes orgânicos (antes disso virar moda, por sinal) e com perfume oriental contemporâneo, drinques inspiradores, música bacana… O segundo andar é ainda mais aconchegante e especialmente indicado para casais: você tira os sapatos (há chinelos à disposição para a hora de ir ao banheiro) e se senta em confortáveis sofás ou almofadas, com os pés no chão forrado por um tapete felpudo. Por ali, passaram chefs como Checho Gonzales (que hoje comanda a Comedoria Gonzales, em SP) e Lúcio Vieira (hoje no Lilia). Destaque para o atum fresco marinado e selado, servido com purê de wasabi, sagu de beterraba e couve crocante, mas não faltam boas opções. Apesar de não ser dos mais baratos (mas vale cada centavo), vive cheio, então, se a ideia é comemorar uma data especial lá, é melhor reservar. Rua Joana Angélica, 40 – Ipanema. Tel: (21) 2247-9101. Horário: Segunda a quarta, das 18h30 à 0h30. Quinta, das 13h às 18h e das 18h30 à 0h30. Sexta, das 13h às 18h e das 18h39 à 1h. Sábado, das 13h à 0h. Domingo, das 13h à 0h.

Leblon

Jaée. Foto: Divulgação
Jaée. Foto: Divulgação

Jaeé: Em meio ao burburinho do Baixo Leblon, o Jaeé trouxe ao Rio o conceito de salad-bar, com o intuito de oferecer, de forma rápida e pronta para o consumo, comida gostosa, fresca e saudável. À frente da cozinha, a chef Thabyta Gesteira, que segue a máxima “ser saudável não é tendência, é um estilo de vida.” Avenida Ataulfo de Paiva, 1.228, loja B, Leblon. Tel: (21) 2540-5627. Horário: Diariamente, das 8h às 23h30.

Zuka. Foto: Divulgação
Zuka. Foto: Divulgação

Zuka: A característica principal do Zuka é sua alta gastronomia preparada na grelha, com a chef Ludmila Soeiro à frente da cozinha. No menu opções sofisticada do mar, da terra e do ar. Se você ama um bom peixe, não deixe de experimentar o atum selado com pupunha, que é de comer de joelhos. Rua Dias Ferreira, 233 – Leblon. Tel: (21) 3205-7154. Horário: Segunda, das 19 à 1h. Terça, das 12h às 16h e das 19h à 1h. Sábado, das 13h à 1h. Domingo, das 13h à 0h.

Jardim Botânico & Humaitá

Casa Camolese: Localizada na antiga vila de casas no Jockey Clube, que ficou por décadas em ruínas, agora revitalizada e batizada de Vila Portugal, a Casa Camolese abriu para o público em novembro de 2017. Tendo como proprietários Cello Camolese Macedo (sócio de casas como Zazá Bistrô e Vezpa Pizzas) e o artista plástico Vik Muniz, o casarão tombado conta com restaurante, bar, cervejaria artesanal, café, delicatessen e um jardim (em construção), com vista para o Corcovado e o Morro Dois Irmãos — em 2018, será inaugurado ainda um clube para shows, o Manouche, no subsolo. O charmoso projeto dos arquitetos Bel Lobo e Bob Neri, com paredes de vidro e tijolos aparentes, valoriza o espaço. O cardápio é assinado pelo chef paulista Paulo Grobe e tem a culinária mediterrânea como inspiração, com produtos feitos na casa, como embutidos artesanais e pães de fermentação natural criados em parceria com a Slow Bakery, ou por pequenos produtores locais. Entre as comidas, mexilhões no vapor preparados com cerveja, alho-poró, pancetta e batata frita e atum grelhado com abacate e alcaparras, mussarela de búfala e manjericão. Rua Jardim Botânico, 983 – Jardim Botânico. Telefone: 98106-7804. Segunda a quinta, das 12h à 0h. Sexta e sábado, das 12h à 1h. Domingo, das 12h às 23h.

Jojô Bistrô. Foto: Divulgação
Jojô Café Bistrô. Foto: Divulgação

Jojö Café Bistrô: Fica ao lado do Jardim Botânico e é perfeito para tomar um vinho em dias mais frios (sim, eles existem no Rio). Às quintas, rola o Happy Oyster, com ostras fresquinhas vindas de Santa Catarina para serem devoradas acompanhadas de espumante. Nos demais dias, você pode se deliciar com arrozes, saladas, sopas e outras surpresas no cardápio. Rua Pacheco Leão, 812 – Jardim Botânico. Tel: (21) 3565-9007. Horário: Terça a sexta, das 18h às 2h. Sábado, das 13h à 1h. Domingo, das 13h às 20h.

Olympe: Parte de uma família com tradição na gastronomia francesa, Claude Troisgros chegou no Rio há mais de 30 anos para nunca mais voltar ao seu país de origem. Hoje também conhecido como apresentador de TV, o chef passou recentemente para seu filho Thomas a batuta do Olympe, agraciado com uma estrela Michelin. Claude foi um dos pioneiros no uso de ingredientes brasileiros com técnica francesa na cozinha. O almoço-executivo é uma opção mais em conta para quem quer conhecer. São três opções de menu degustação, mas há também pratos individuais.  Rua Custódio Serrão, 62 – Jardim Botânico. Telefone: 2539-4542. Segunda a sexta, das 12h às 16h e das 19h30 à 0h30. Sábado, das 19h30 à 0h30.

Lagoa & Gávea

Sunomono do Nao Hara no Seidô. Foto: Divulgação
Sunomono do Nao Hara no Seidô. Foto: Divulgação

Japa B: O prestigiado chef Nao Hara deixou a cozinha do Shin Miura depois de 25 anos e levou com ele sua equipe. O primeiro andar é servido rodízio, com bom custo-benefício. Mas, se estiver aberto a novidades, vá para o segundo andar, onde o cardápio é à la carte. Não deixe de pedir a Duplas do Chef, com pedidas como o sushi de atum com foie gras, além de outras delícias no cardápio e outras criações do chef, muitas vezes inventadas na hora, que são as boas da casa. Rua José Joaquim Seabra, 10 – Lagoa. Tel.: (21) 2530-0780. Horário: Segunda, das 19h à 0h. Terça a domingo, das 12h à 0h.

Braseiro da Gávea: Localizado na esquina mais movimentada do Baixo Gávea, onde cariocas se juntam para ver e serem vistos, a casa mantém as características de um ambiente simples e comida honesta. Considerado um dos melhores restaurantes de comida na brasa e um excelente point para a paquera no Rio, o Braseiro da Gávea já é parte do roteiro gastronômico e turístico carioca. Nos fins de semana, prepare-se para a fila na porta. Praça Santos Dumont, 116 – Gávea. Tel: (21) 2239-7494. Horário: Domingo a quinta, das 11 à 1h. Sexta e sábado, das 12 às 3h.

Guimas: O bistrô tradicional na Gávea abriu suas portas em 1981. Superaconchegante, tem bom atendimento e preços justos. O cardápio conta com uma boa seleção de massas, filé à milanesa com salada de batatas, picadinho de filé, arroz de pato e saladas, entre outras boas opções. Se você procura por confort food, o Guimas é uma ótima escolha. Está fora do burburinho, é bem frequentado, tem boa carta de drinques e tem ótima seleção de vinhos. Não tem como errar. R. José Roberto Macedo Soares, 5 – Gávea. Tel: (21) 2259-7996. Horário: Diariamente, das 12h à 1h.

Quem escreveu

Kamille Viola

Data

05 de February, 2018

Share

Kamille Viola

Kamille Viola é jornalista cultural, apaixonada por música, comida e viagens. Adora mostrar cantos menos conhecidos do Rio para quem vem de fora - e quem é da cidade também. É daquele tipo de gente para quem escrever não é uma escolha: é a única opção.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.