As boas do fim de semana no Rio: 12.01

Data

10 de January, 2018

Share

Patrocínio

Minha Luz é de LED

A noite dançante é embalada com brilho e purpurina | Foto: Francisco Costa

A festa surgida no carnaval de 2013 faz uma mistura inusitada (e colorida) entre estilos variados. De Led Zeppelin a Pabllo Vittar, de Daft Punk a Araketu, tudo é remixado num jeitinho transante. A purpurina está liberada, é claro. Aliás, a entrada é mais barata para quem for montado no brilho.

Minha Luz é de LED. Sábado (13.01) às 23h. Ingressos: R$ 30 (até 2h e para quem estiver purpurinado), R$ 40 (após as 2h e não purpurinados).
HUB. Avenida Professor Pereira Reis, 50 – Santo Cristo.

Rebola

Não tem jeito. Basta virar o ano para as festas cariocas respirarem um pouquinho de carnaval. Na Rebola, a receita é regra o ano todo: a night produzida pelo coletivo Bota na Roda junta aspectos ancestrais e contemporâneos da música brasileira, num mix de ritmos com direito a tambores e fantasias.

Rebola. Sexta (12.01) às 23h. Ingressos: gratuito até meia-noite, R$ 20 após.
Instituto Cultural Ruínas. Praça Tiradentes, 75 – Centro.

SOPA

O ator e DJ Armando Babaioff | Foto: Alexandre Woloch

A noite comandada por Armando Babaioff e Marcello H. acontece sob a lona de um circo e vara a madrugada com hits atuais e clássicos de todos os tempos. No repertório para o público descolado, vale tudo que seja dançante, inclusive axé, pop e funk. A dica é ir com roupa leve, pois o local é quente. Com música, bebida e crush à vista, o calor só aumenta.

SOPA. Sexta (12.01) às 23h. Ingressos a partir de R$ 15 aqui.
Circo Crescer e Viver. Rua Carmo Neto, 143 – Cidade Nova.

Peraí, que tem mais

Dá para fugir daquele roteiro deprê televisão-sofá no domingo. Às margens da Lagoa Rodrigo de Freitas, vai rolar um baile de forró comandado pelo Trio de Janeiro. Dezenas de foodtrucks estarão à disposição do público.
Forró da Lagoa. Domingo (14.01) das 13h às 22h. Gratuito.
Parque das Figueiras. Av. Borges de Medeiros, 1426 – Lagoa.

Os bailes dominicais de verão do Digitaldubs seguem a todo vapor. Nesta semana, o rapper Black Alien faz a primeira apresentação de sua nova turnê nacional. Antes e depois do show, a pista conta com discotecagem de reggae e dancehall.
Baile do Digitaldubs. Domingo (14.01) às 19h. Ingressos a R$ 30 aqui.
HUB. Avenida Professor Pereira Reis, 50 – Santo Cristo.

É disputadíssima a roda de samba do Moça Prosa, grupo formado apenas por bambas empoderadas. Programão para quem curte requebrar o quadril e cantar, em alto e bom som, clássicos da batucada.
Moça Prosa. Sexta (12.01) das 18h às 23h. Gratuito.
Espaço Catete. Rua do Catete, 97 – Glória.

O La Paz Club se junta, a partir deste fim de semana, ao Ganjah. A nova casa faz sua noite de estreia com apresentação dos DJs Saddam e Marcelinho da Lua.
DJ Saddam + Marcelinho da Lua. Sábado (13.01) às 21h30. Ingressos: R$ 10 até 23h30, R$ 20 após.
Ganjah Lapa. Rua do Rezende, 82 – Lapa.

O Bukowski prepara uma noite bombástica para os amantes de rock. No setlist da casa, entram clássicos do último século e sucessos recentes.
Até Ligaria para a Sua Opinião Mas Estou Sem Crédito. Sábado (13.01) às 21h. Ingressos: R$ 34 com nome da lista, R$ 55 sem.
Bar Bukowski. Rua Álvaro Ramos, 270 – Botafogo.

Para a festa Paranoid Android, o tempo voou. Na comemoração de 16 anos (!) da night moderninha, a tradicional pista de indie rock divide espaço com outra de música pop.
Paranoid Android. Sexta (12.01) às 23h. R$ 50.
Fosfobox. Rua Siqueira Campos, 143 – Copacabana.

Data

10 de January, 2018

Share

Patrocínio

Filipe Isensee e Gustavo Cunha

Filipe nasceu em Salvador, mudou-se aos 9 anos para Belo Horizonte e, aos vinte e poucos, decidiu encarar o Rio de Janeiro. Há quatro anos conheceu Gustavo, cria da capital fluminense. Jornalistas culturais, gostam de receber amigos em casa e ir ao cinema. Cada vez mais são adeptos de programas ao ar livre - sempre que podem, incluem no passeio Chaplin, esperto vira-lata adotado há um ano.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.