De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

As boas do carnaval 2018 no Rio de Janeiro

Data

08 de February, 2018

Share

Ex Africa

A imagem integra a exposição Ex Africa, em cartaz no CCBB | Foto: Divulgação

A exposição traz mais de 80 obras, assinadas por 20 artistas, e valoriza a pluralidade da arte africana e também sua ressonância no Brasil. Há vídeos, pinturas, esculturas, vídeos e fotografias, registros que desabilitam o estigma de que o continente produz apenas artesanato. Uma sala é exclusivamente dedicada ao Afrobeat, a música popular de Lagos, maior cidade da Nigéria. O texto de apresentação, destacado na entrada da mostra, ressalta que a arte contemporânea africana tem a vantagem de não precisar atender a nenhum cânone, um contraste com a arte ocidental, e pode se orientar unicamente pelo aqui e agora.

Ex Africa. De quarta-feira a domingo, das 9h às 21h. Em cartaz até 26.03. Gratuito.
CCBB. Rua Primeiro de Março, 66 – Centro.

Minha família fora do armário

Uma das famílias que saíram do armário | Foto: Divulgação

Taí um bom um convite para se fazer ao amigo possível eleitor d’aquele-que-não-deve-ser-nomeado. O armário metafórico, esse lugar de enclausuramento e opressão, já foi reciclado pelas dez famílias homoafetivas (ou, melhor, apenas famílias) retratadas na exposição. A vida fora dele, embora com seus nós, segue em comunhão com o afeto. Idealizadoras do projeto, as fotógrafas Tata Barreto e Renata Ferrer registraram o cotidiano de pais, mães e filhos. Além das fotos, o público pode conferir um curta-documentário do projeto.

Minha família fora do armário. De terça-feira a domingo, das 12h às 19h. Em cartaz até dia 25.02. Gratuito.
Centro Cultural da Justiça Federal (CCJF). Avenida Rio Branco, 241 – Centro.

Financiamento coletivo do Queermuseu

E por falar na vida fora do armário… Contrariando reacionários sem itinerários e vasculhadores da genitália alheia, o censurado Queermuseu pode ser oficialmente inaugurado e apreciado pelo público. Se tudo der certo, chegará ao Rio, especificamente à Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV), nos próximos meses. Para isso, foi lançada uma campanha de crowdfunding a fim de arrecadar R$ 690 mil – o valor será usado na operação e na montagem da exposição, na produção um ciclo de debates, bem como na adaptação das Cavalariças para abrigar as obras. A vaquinha do enfrentamento e da empatia vai até 29.03. Vamos enxotar a ignorância?

Crowdfunding Queermuseu. Contribuições a partir de R$ 20. Até 29.03.

A Era dos Games

Há uns sete anos, em suas respectivas colunas no Segundo Caderno do jornal O Globo, Hermano Vianna e José Miguel Wisnik trocaram ideias sobre a importância cultural dos games, ideia defendida pelo primeiro e em parte questionada pelo segundo. Não é o caso de resumir a rica costura dos articulistas aqui. Mas imagino que entusiastas dessa arte de criação e expansão de mundo, como Vianna, vão adorar A Era dos Games, que fica até o fim do mês no VillageMall. Para além da força da indústria, com arrecadação surpreendente ano a ano, a exposição trata os jogos como um fenômeno social e cultural. Por lá, o público vai poder interagir com 150 games de sucesso.

A Era dos Games. De terça-feira a sábado, das 14h às 22h. Domingos e feriados, das 14h às 21h. Ingressos a R$ 20.
VillageMall. Avenida das Américas, 3.900 – Barra da Tijuca.

Grande Ateliê do Carnaval

Últimos dias do ateliê instalado na Caixa Cultural. Como não poderia deixar de ser, o clima é de festa. Então vá lá para confeccionar máscaras e adereços de cabeça. E, antes de se perder entre confetes e serpentinas, aprenda sobre a história da folia e os significados do uso de fantasias.

Ateliê de Carnaval. Até sexta-feira (09.02), das 16h às 19h. Gratuito.
Caixa Cultural. Av. Almirante Barroso, 25, Centro.

Blumfeld – Um solteirão de mais idade e outras histórias

O combo lançamento + bate-papo é uma boa pedida para quem curte Franz Kafka, um dos escritores mais prestigiados do século 20. O livro reúne 26 contos, alguns inéditos, traduzidos diretamente do alemão por Marcelo Backes, que fará uma palestra na ocasião. Os textos, claro, evidenciam a marca kafkaniana, explorando temas como estranheza e fracasso, que cristalizaram o estilo do autor. “O guarda da cripta”, o único drama que escreveu, é uma das histórias inéditas presentes no título editado pela Civilização Brasileira.

Lançamento de “Blumfeld – Um solteirão de mais idade e outras histórias”. Quinta-feira (08.02), às 19h. Gratuito. Preço do livro: R$ 57,90.
Livraria da Travessa (Shopping Leblon). Av. Afrânio de Melo Franco, 290 – Leblon.

Peraí, que tem mais

Outra exposição que se despede da cidade em fevereiro. “Rugas”, projeto de Ana Paula Paiva, reflete sobre a beleza do envelhecer.
Rugas. De quinta-feira a sábado, das 11h às 20h. Domingo, das 11h às 16h. Em cartaz até 24.02. Gratuito.
Galeria Modernistas: Rua Paschoal Carlos Magno, 39 – Santa Teresa.

Data

08 de February, 2018

Share

Filipe Isensee e Gustavo Cunha

Filipe nasceu em Salvador, mudou-se aos 9 anos para Belo Horizonte e, aos vinte e poucos, decidiu encarar o Rio de Janeiro. Há quatro anos conheceu Gustavo, cria da capital fluminense. Jornalistas culturais, gostam de receber amigos em casa e ir ao cinema. Cada vez mais são adeptos de programas ao ar livre - sempre que podem, incluem no passeio Chaplin, esperto vira-lata adotado há um ano.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.