De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

SP24hrs

Porque para amar São Paulo não é preciso firulas.

Rio de Janeiro, além do bondinho e do Cristo Redentor

Quem escreveu

Kamille Viola

Data

05 de February, 2018

Share

Museu do Amanhã, dedicado à ciência, convida o público a examinar o passado, conhecer as transformações atuais e imaginar cenários possíveis para os próximos 50 anos. O museu é assinado pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava e foi projetado especialmente para nossa Cidade Maravilhosa. Parte do projeto de revitalização da região, mal surgiu e já está cercado de polêmicas. Mesmo assim, as filas para entrar são grandes. Praça Mauá, 1 – Centro. Horário: De terça a domingo, das 12h às 19h.

Museu do Amanhã. Foto: Cesar Barreto / Divulgação
Museu do Amanhã. Foto: Cesar Barreto / Divulgação

Em um lugar onde funcionava a fábrica de chocolates Bhering, no bairro da Saúde, fotógrafos, artistas plásticos e artesãos montaram estúdios e ateliês abertos ao público. O maquinário e as antigas instalações da fábrica continuam lá e vale a visita. É preciso checar a página para saber o que está acontecendo, mas a filosofia é portas abertas, então se quiser só conhecer e tomar um café, você é bem-vindo. R. Orestes, 28 – Santo Cristo. Telefone: (21) 2213-0014. Horário: Segunda a sábado, das 9h às 20h

Antiga fábrica da Bhering. Foto: Divulgação
Antiga fábrica da Bhering. Foto: Divulgação

A Anita Schwartz Galeria de Arte tem três andares: o primeiro e principal fica a 50cm acima do nível da rua e é preparado para receber grandes mostras. O segundo tem uma sala de exposições e o terceiro é um terraço onde videoinstalações são projetadas. A galeria aposta na boa curadoria, tanto de artistas já consagrados como de novos talentos. R. José Roberto Macedo Soares, 30 – Gávea. Telefone: (21) 2274-3873. Horário: Segunda a sexta, das 10 às 20h. Sábado, das 12h às 18h

A Caixa Cultural tem mais de 6 mil metros quadrados e foi inaugurada em 2006. No espaço, se encontram um teatro de arena, dois cinemas, quatro galerias de arte, salas de ensaio e oficinas. Além de preços populares, a Caixa oferece ainda acesso gratuito em boa parte da sua programação. Av. Almirante Barroso, 22 – Centro. Telefone: (21) 2262-8152. Horário: Terça a domingo, das 10h às 21h.

O MAR fica em dois prédios com perfis diferentes: um é o Palacete Dom João VI, tombado e eclético, e o outro um terminal rodoviário modernista. Inaugurado em 2013, o lugar oferece exposições e programas multimeios e educacionais. Uma sexta-feira por mês, acontece nos pilotis o MAR de Música, evento musical gratuito com curadoria do Circo Voador. Museu de Arte do Rio. Praça Mauá, 5 – Centro. Telefone: (21) 3031-2741. Horário: Quarta a domingo, das 9h às 18h. Terça, das 9h às 20h.

MAR. Foto: Leonardo Finotti
MAR. Foto: Leonardo Finotti

Independentemente da exposição que esteja em cartaz, o Instituto Moreira Salles já encanta. O lugar possui um café, passear lá é uma delícia e é superfotogênico: funciona na casa onde o embaixador Walther Moreira Salles viveu com sua família, inaugurada em e um verdadeiro palacete moderno. O projeto paisagístico é assinado por ninguém menos que Roberto Burle Marx. Foca em quatro pilares: fotografia, música, literatura ou iconografia, ou seja, bem completo. R. Marquês de São Vicente, 476 – Gávea. Telefone: (21) 3284-7400. Horário: De terça a domingo, das 11h às 20h.

O Centro Cultural Banco do Brasil é um dos mais interessantes e completos espaços do gênero na cidade. Instalado em um belo edifício neoclássico, desde 1989 apresenta exposições, peças de teatro, shows, filmes e oficinas. Os eventos, em geral, são gratuitos ou a preços populares. Por lá, passaram mostras de nomes como Picasso e Kandinsky. Uma vez por mês, o lugar tem realizado a Madrugada no Centro, com shows e festas gratuitas do lado de fora do prédio, em frente ao estacionamento. Uma informação interessante é que o CCBB abre às segundas, quando todos os outros centros culturais estão fechados. Rua Primeiro de Março, 66 – Centro. Telefone: (21) 3808-2020. Horário: De quarta a segunda, das 9h às 21h.

Principal obra do arquiteto Affonso Eduardo Reidy, o Museu de Arte Moderna é por si só uma obra interessante, e ainda por cima tem em seu entorno a exuberância do Parque do Flamengo. Atualmente, abriga as coleções de Gilberto Chateaubriand e Joaquim Paiva, além de seu próprio acervo, num total de 11 mil obras. Nos últimos  tempos, seus jardins vêm sendo ocupados pela população em piqueniques e eventos dos mais diversos. Av. Infante Dom Henrique 85, Aterro do Flamengo. Telefone: (21) 2240-4944. Horário: Terça a sexta-feira, das 12h às 18h. Sábado e domingo, das 11h às 18h.

MAM. Foto: Rudolf Noronha
MAM. Foto: Rudolf Noronha

O Oi Futuro fica no endereço ocupado por muitos anos pelo Museu do Telephone. Aberto em 2005, aposta na tecnologia e nas novas linguagens em sua programação. Além de exposições, abriga peças de teatro e eventos de música. Rua Dois de Dezembro, 63 – Flamengo. Telefone:(21) 3131-3060. Horário: Terça a domingo, das 11h às 20h.

Real Gabinete de Leitura. Foto: fecortez
Real Gabinete de Leitura. Foto: fecortez

Cenário digno de filme, é uma pena que o deslumbrante Real Gabinete Português de Leitura só abra durante a semana. Foi construída por portugueses e inaugurada pela princesa Isabel em 1887. Possui a maior coleção de publicações portuguesas fora de Portugal: mais de 300 mil obras, acessíveis a todo mundo. Rua Luís de Camões, 30 – Centro. Telefone: (21) 2221-3138. Horário: Segunda a sexta, das 9h às 18h.

Quem escreveu

Kamille Viola

Data

05 de February, 2018

Share

Kamille Viola

Kamille Viola é jornalista cultural, apaixonada por música, comida e viagens. Adora mostrar cantos menos conhecidos do Rio para quem vem de fora - e quem é da cidade também. É daquele tipo de gente para quem escrever não é uma escolha: é a única opção.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.