De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

Copenhagen, a cidade mais alegre da Escandinávia

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

19 de January, 2015

Share

Não dá para passar incólume por Copenhagen. Quem vai, quer ficar. Só pelo fato de mais 35% da população se locomover exclusivamente por bicicleta, já diz muito sobre a qualidade de vida dessa pequena pérola escandinava. A capital dinamarquesa é compacta, quase plana e muito charmosa. A cidade de Copenhagen tem cerca de 600 mil habitantes, os quais 94.000 são estudantes, e somados aos moradores da região metropolitana, chegam a mais 1,5 milhão. No verão é, com certeza, uma das melhores pedidas na Europa. A cidade é divertida, jovem e pulsante. É considerado um dos melhores lugares para viver pela revista Monocle. A Lonely Planet considera o lugar mais gay friendly do planeta. É a cidade do design com um planejamento urbano invejável, a mais verde da Europa, e dizem estudos que a mais feliz do mundo. Nem tudo é só maravilha, e o preço disso é o próprio preço – a cidade é bem cara. Mas esqueça um pouco a conversão de moeda, alugue uma bike e aprenda o que faz desse pequeno país um lugar tão especial.

Informações gerais

Apesar de fazer parte da Comunidade Européia, a Dinamarca não aderiu ao Euro. A moeda por lá é a Coroa Dinamarquesa, R$ 1 equivale a DKK 0,4380. Praticamente todos os lugares aceitam cartão de crédito e/ou débito. Uma boa pedida é levar um travel card em euros. A língua oficial é o dinamarquês, mas a população fala inglês fluente. Gorjetas não fazem parte da tradição do país. Caso o serviço seja excepcional e queira recompensar, 10% é suficiente.

Transporte

Ao chegar no aeroporto, é possível ir para a cidade de metrô, trem, ônibus ou táxi:

De metrô: vá até o Terminal 3 e pegue o metrô M2 para a estação Vanløse, não há como errar pois todos vão para essa direção. A viagem até a estação Nørreport, o maior hub da cidade, leva 13 minutos. Durante o dia, o metrô tem intervalos de até 6 minutos, enquanto à noite, o intervalo pode chegar a 20 minutos. Os tickets podem ser comprados na própria estação em moedas ou cartão de crédito.

De trem: vá até o Terminal 3 e pegue o trem em direção à Central Station. Os trens passam a cada 10 minutos e, assim como o metrô, leva 13 minutos até a cidade.

Central Station - Foto por Frank Bach/Shutterstock
Central Station – Foto por Frank Bach/Shutterstock

De ônibus: a linha 5A leva até as estações Central Station, City Hall Squarte e Nørreport, entre outras estações. A viagem tem duração de 30 minutos até a Central Station. É possível comprar o ticket no terminal 3 ou no próprio ônibus, porém os motoristas aceitam apenas moeda, algo que raramente temos quando chegamos em Copenhangen.

De táxi: na Escandinávia, táxi não é o meio de transporte mais recomendável devido às altas tarifas, mas se por algum motivo essa seja sua opção, os táxis levam cerca de 30-35 minutos até o centro. As tarifas variam entre DKK 250-300 (R$109-131), que pode ser uma boa caso esteja em 3 pessoas.

Na cidade, para trem, metrô e ônibus, é possível comprar um bilhete de 24 ou 72 horas: Zona 1-4 Valor: 24h – DKK 80 (cerca de R$35), 72h – DKK 200 (cerca de R$88) – é possível comprar pela Internet (você receberá o ticket por SMS) ou via app (ios e android)

Existe também o Copenhagen Card, um cartão que dá direito ao transporte público e às atrações da cidade (cerca de 72 museus e atrações turísticas). Custa a partir de 48 (R$156) a 110 (R$360) euros, dependendo da quantidade de dias que quer usufruir do cartão, mas sinceramente não achamos que valha a pena.

Porém, a opção mais bacana depois de devidamente instalado é a bicicleta. Copenhagen é segura, cheia de ciclovias e tudo é relativamente perto então não há como se dar mal com essa escolha. Na cidade toda há lojas de bike e a maioria delas alugam. A dica para alugar é em Dybbølsbro, ao lado da estação de trem de mesmo nome, que tem uma loja prática, barata e aberta sempre.

Guia de Bairros

Copenhagen é dividida em 6 distritos: Østerbro, Vesterbro, Nørrebro, Christianshavn, Islands Brygge e o centro Indre By (Inner city).

Østerbro é o lugar mais family friendly da cidade. Possui muitas áreas verdes – é lá que está o Fælledparken, maior parque público do país – mas também tem cafés charmosos e lojas de design.

Para quem curte a noite, Vesterbro é o lugar para ficar. Bairro boêmio, é um dos poucos lugares na cidade onde as coisas ficam abertas até mais tarde. Mesmo se você não for ficar por ali, é interessante separar um sábado para andar pela região, que também abriga um Flea Market, galerias de arte e lojas de design dinarmaquês. Em Vesterbro, fica o Kødbyen (Meat City), algo como o Meatpacking District em Nova York, onde você encontra centenas de restaurantes bacanudos e lugares para sair a noite.

Nørrebro é famoso por ser o bairro dos imigrantes, é um dos mais badalados e é super rico culturalmente. Prédios se transformaram em squats abrigando projeções de filmes, performances e festas de rua, além de dividirem espaço com restaurantes árabes, empórios turcos e açougues hallal. Dois lugares para visitar são a Blågårdsplads e a Sankt Hans Torvet, praças bem características onde é possível perceber essa riqueza cultural.

Christianhavn é cheio de canais charmosos, lembrando um pouco Amsterdã. Também é um bairro cheio de bares que funcionam até tarde

Islands Brygge é o canto mais calmo de Copenhagen. Foi no passado um bairro operário tomado atualmente por jovens e muitos cafés. Possui um parque, o Amager Fælled, na margem do canal, oferecendo uma das vistas mais bonitas da cidade.

Ørestad é um dos bairros mais novos de Copenhagen, construído por escritórios badalados de arquitetura. Para quem gosta do assunto, o lugar é obrigatório. Não deixe de visitar por lá os prédios residenciais VM Mountain e 8Tallet, pelo arquiteto Bjarke Ingels (BIG) e o DR Concert Hall, pelo arquiteto jean Nouvel.

8Tallet - Foto por Seier+seier
8Tallet – Foto por Seier+seier

Indre By, bairro central de Copenhagen e, apesar de turístico, é imperdível. Lugar ótimo para caminhar pelas ruelas em torno da Strøget, principal rua de comércio da cidade. Por lá é possível sentir um pouco o estilo de vida dinamarquês. O burburinho gay dinamarquês rola em Studiestæde, no Centro. Tem bares de sadomasoquismo dividindo espaço com brechós antigos, saunas e festas de dragqueens.

Para se hospedar

hotelalePara respirar a cultura da Dinamarca, o Hotel Alexandra é uma excelente opção: os móveis vintage com o inconfundível design impecável, e o serviço para chamar o concierge de amigo. H. C. Andersens Blvd. 8, 1553 København

Pertinho do Tivoli Garden (o parque de diversões), o First Hotel Twentyseven  prioriza o design, com decoração minimalista e moderna. Lá às sextas e sábados rola uma música boa para poder sair à noite sem ter que sair do hotel no Honey Ryder Cocktail Lounge. Løngangstræde 27, 1468 København

Quer uma experiência diferente? Um hotel com apenas um quarto: na parte de cima de um pequeno café em Vesterbro, o Central Hotel & Café é uma hospedagem única, com detalhes e design para nenhum fã de hotel boutique botar defeito.  Tullinsgade 1, 1618 København

Para comer

Para não passar perrengue por lá, nunca deixe de reservar uma mesa para o jantar. Em Copenhagen, decidir em cima da hora e tentar achar um lugar para comer, não é uma boa idéia.

Pop et spiseri serve comida italina com charme dinamarquês com um menu bem enxuto. É conhecido pelo ótimo atendimento, qualidade nos pratos e preço justo (para os padrões escandinavos). Recomenda-se reservar mesa. Preço único: 600DKK – cerca de R$ 260,00 -, incluindo entrada, prato principal, vinho, sobremesa e café. Endereço: Griffenfeldsgade 28, Nørrebro – Quarta à sexta-feira: 17h30 à 0h.

Grillen Nørrebro é mais informal servindo hambúrgueres apetitosos e cerveja bem gelada. As porções são bem servidas e as onion rings, imperdíveis. Se você comer o hamburguer mais apimentado da casa, não paga a conta e ainda ganha sua foto nas paredes do lugar. Endereço: Nørrebrogade 13, Nørrebro. Abre todos os dias das 11:30 às 23:00 horas.

O Paté Paté é um restaurante de comida francesa contemporânea. Os pratos são pequenos, recomenda-se pedir 3 por pessoa e o cardápio muda quase que diariamente. Endereço: Slagterboderne 1 1716 Copenhagen. Horários: De segunda a quarta, das 9 à meia noite; quinta, das 9 à uma da manhã; sexta e sábado, das 9 às  da manhã. Fechado aos domingos.

Paté Paté - Reprodução Facebook
Paté Paté – Reprodução Facebook

Para comer frutos do mar em Copenhagen, o Fiskbaren é o lugar. Tudo ali é super fresco e o atendimento perfeito. O preço é convidativo e é o lugar para onde os sous chefs do Noma vão após o trabalho. Endereço: Flæsketorvet 100 1711 Copenhagen. Horários: Abre todos os dias às 17:30. Sextas e sábados, fecha às 2 da manhã; nos outros dias, à meia noite.

Para uma vista 360 da cidade, vá ao Sticks’n’Sushi, no topo do Hotel Tivoli. Só pela vista, o lugar já valeria a pena, mas a comida de lá é ainda de comer de joelhos. Endereço: Arni Magnussons Gade 2, 12. sal Tivoli Hotel & Congress Center. Horários: Abre todos os dias às 10 da manhã. De domingo a quarta, fecha às 23; Quinta à 1; e sexta e sábado às 2.

O Halifax é o lugar para comer o típico hamburguer clássico norte-americano, com 2 deliciosas opções vegetarianas. Endereço: Frederiksborggade 35. Horários: Abre todos os dias ao meio-dia e fecha às 22, exceto de domingo, quando fecha às 21.

Comida mediterrânea é o ponto forte do Atlas Bar. O lugar costuma encher, por isso é recomendado reservar uma mesa. Endereço: Larsbjørnsstræde 18. Horários: Fechado aos domingos; todos os outros dias, da meio-dia a meia-noite.

O Toverhallern é o maior mercado de comida da cidade. Ali, você encontra mais de 60 banquinhas vendendo todo tipo de comida diariamente. Evite aos finais de semana. É imperdível! Endereço: Frederiksborggade 21. Horários: Segunda a quinta, das 10 às 19; Sexta, das 10 às 20; Sábado, das 10 às 18; e nos domingos das 11 às 17.

Para tomar café

O Laundromat Café é parada obrigatória para um brunch em Copenhagen. Existem mais 3 deles na cidade, mas o da Elmegade é o original. O lugar consegue atrair tanto turistas quanto locais. Se  Endereço: Elmegade 15 , Nørrebro. De dias de semana, das 8 às 23 horas; de final de semana: das 9 às 23 horas.

The Laundromat Café - Reprodução Laundromat Café
The Laundromat Café – Reprodução Laundromat Café

Outra opção para brunch é o Granola. Eles também têm opções para almoço e jantar, mas a fama do lugar é graças ao café da manhã. Oferece café bem tirado e bons milk shakes. Mas prepare o bolso e a paciência: além de ser um pouco caro, é normalmente bem cheio, é recomendável reservar mesa. Aproveite e visite o mercado das pulgas que acontece na frente aos sábados. Endereço: Værnedamsvej 5, 1819 Frederiksberg. Horários: Segunda a sexta das 7 às 24; Sábado das 9 às 24; Domingos das 9 às 16 hrs.

A Conditori La Glace é a confeitaria mais antiga da Dinamarca, aberta em 1870. O lugar é bem cafona, construído com mármore: é único. Foi considerada umas das 25 confeitarias imperdíveis no mundo pelo Buzzfeed. Endereço: Skoubogade 3. Horários: Durante a semanas, das 8:30 às 18, sábado, das 9 às 18; Domingo, das 10 às 18.

A franquia londrina Hotel Chocolat serve o melhor chocolate quente da cidade. Não deixe de experimentar o Salted Caramel. Endereço: Østergade 13. Horários: De segunda a quinta, das 8:30 às 18; na sexta, das 8:30 às 19; sábado, das 10 às 17. Domingo está fechado.

Para tomar um drink

Manfreds é um wine bar com uma boa coleção de vinhos. O bar tem apenas 20 lugares para sentar e é possível sentar apenas para tomar uma taça, mas se puder, não deixe de experimentar o steak tartar da casa. Endereço: Jægersborggade 40, Nørrebro. Abre todos os dias para almoço (12-15h30) e jantar (17h30-22)

Malbeck Vinoteria é o lugar perfeito para uma taça de vinho e tapas. De domingo a quinta, o preço do vinho cai pela metade das 16 às 18 horas. Peça o menu degustação com seleção de carnes frias, salame, 3 tipos de queijo, azeitonas por 140Kr para uma pessoa e 250Kr para duas. Endereço: Birkegade 2, Nørrebro. Aberto todos os dias a partir das 16 horas; Sexta e sábado funciona até às 1 da manhã; nos demais dias, fecha à meia noite.

O Dyrehaven é na verdade um café, mas possui uma boa carta de drinks bem feitos e cervejas dinarmaquesas. É um ótimo lugar para sentar numa tarde sábado. Endereço: Sønder Boulevard 72. Horários: Durante a semana, das 9 às 2 da manhã. Sábado, das 10 às 2 e no domingo, de 10 à meia-noite.

Não existe cardápio no Ved Stranden 10: você fala para o garçom o que gosta e eles trazem algo que acreditam combinar com seu gosto e contam um pouco a história do vinho. Eles trabalham com vinícolas pequenas e todos que trabalham lá vão até elas para conhecer a história pessoalmente. O preço não é muito atraente, uma taça pode custar R$ 70, mas a média é R$ 40/50 por taça. Endereço: Ved Stranden 10. Horários: Fechado aos domingos; todos os outros dias do meio-dia às 22.

Ved Stranden 10 - Reprodução
Ved Stranden 10 – Reprodução

Para dançar

O Jolene é um bar, daqueles para tomar cerveja de garrafa. Abriu em 2007, mas fez tanto sucesso que teve que fechar 4 meses depois por reclamação dos vizinhos. Reabriu em 2008, no mesmo lugar que fica até hoje em Vesterbro. Djs tocam a noite toda e vez ou outra uma banda toca no lugar. Endereço: Flæsketorvet 81-85.

Se você curte música eletrônica, uma boa pedida é a God Goes Deep. Além de sempre ter djs maravilhosos tocando por lá, a festa acontece em uma igreja, o que torna tudo ainda muito mais legal. Endereço: Vor Frue Kirke, Nørregade 8.

Outra dica para amantes de música eletrônica, é o Culture Box, que é um dos clubes mais famosos na Dinamarca. É dividido em  espaços: o White Box, bar para o esquenta; Red Box, um lugar mais íntimo; e o Black Box, onde os grandes nomes tocam. Endereço: Kronprinsessegade 54.

Para ouvir música ao vivo, vá ao Rust. As atrações são bandas alternativas, pop, artistas de hip-hop ou música eletrônica. Sempre conta com artistas mais desconhecidos e alternativos. Mas 3 vezes por semana, a casa ainda conta com uma pista de dança. A entrada é 60 DKK para a pista, para os concertos o preço varia, dá uma olhada aqui. Endereço: Guldbergsgade 8.

Para inspirar

A Sønder Boulevard, em Vesterbro, é uma rua de 1,3km onde o canteiro central foi transformado em um parque linear. No verão, esse parque vira a praia dinamarquesa. Vale esticar por lá para conhecer quando for tomar uma cerveja no Dyrehaven.

O Nyhavn, na região central, é o lugar perfeito para o final de um longo dia no verão. É lá que estão as famosas casinhas coloridas que são o cartão postal da cidade. Aproveite para comer alguma coisa em algum dos diversos restaurantes charmosos por aí ou compre uma cerveja e tome na calçada. Quando estiver por ali, não deixe de visitar o Parque Kastelet e Amalienborg, o castelo da família real.

Nyhavn Canal - Foto por Sean Pavone/Shutterstock
Nyhavn Canal – Foto por Sean Pavone/Shutterstock

A Ny Carlsberg Glyptotek é uma galeria de arte em Copenhagen, com um acervo lindo e sempre alguma boa exposição boa rolando. O lugar é encantador e tem um café gostoso, com receitas com ingrendientes orgânicos e sustentáveis. Endereço: Dantes Plads 7. Horário: De terça a domingo, das 11 às 17.

Um dos prédios mais bonitos de Copenhagen é o Den Sorte Diamant (Diamante Negro), a Biblioteca Nacional. O nome vem do fato do prédio ser feito de granito preto e ter ângulos irregulares. Além de ser uma biblioteca, o local ainda oferece várias outras atividades, como concertos de música, conferências e apresentações teatrais. O lugar ten ainda espaço para exposições, uma livraria, um café, um terraço e dois museus, O Museu nacional da Fotografia e um pequeno museu dedicado a quadrinhos. Endereço: Søren Kierkegaards Plads 1. Horário: fechado aos domingos, todos os outros dias, das 8 às 22:00, ou 19:00 no verão.

Sorte Diamond - Foto por Steffen Hoejargen/Shutterstock
Sorte Diamond – Foto por Steffen Hoejargen/Shutterstock

A igreja de St Nikolaj foi construída no começo dos 1200 e é a terceira igreja mais antiga de Copenhagen. Depois do grande incêndio na cidade, ela foi desativada e teve diferentes funções com o passar dos anos. Hoje, funciona lá a galeria de arte Nikolaj Kunsthal, sempre com uma exposição interessante. A entrada é de graça às quartas. Endereço: Nikolaj Plads, 10. Horário: Terça a domingo, da meio-dia às 17; quinta fica aberto até às 21.

A Church of Our Saviour tem uma escada em espiral com 392 degraus. Claro que subir tudo isso não é das tarefas mais fáceis, mas ao chegar no topo você vê que vale a pena:  você é brindado com a vista mais bonita da cidade. É possível avistar a Suécia de lá. Endereço: Sankt Annæ Gade 29. Horários: Diariamente das 11 às 15:30.

Christiania é um lugar que todos devem ir por lá.  Foi criada em 1971 a partir da ocupação de uma base militar abandonada na cidade. Hoje conta com 850 habitantes numa área de 34 hectares. É um “bairro” autônomo e com leis próprias. Aliás, o lugar gerou muita controversa por sua política permissiva a maconha. Mas atenção: não tire fotos lá dentro.

Para comprar (ou passar vontade)

Se você é viciado em música, dê uma passada na Dorma 21. Além de ser loja de discos, o lugar também é um café e faz festas esporadicamente com djs e cerveja. Focada em música eletrônica, lá você encontra discos difíceis de se encontrar a preços razoáveis. Endereço: Birkegade, 21, Nørrebro. Horário: De segunda a quinta, das 11 às 19 horas; sextas e sábados, das 11 às 22 horas.

Para compras, uma ótima pedida é passear pela Elmegade, a rua mais simpática do bairro de Nørrebro. Lá, outlets de marcas escandinavas como a Acne, dividem o espaço com bares e cafés sempre movimentados. Já a Istedgade é a versão dinamarquesa da nossa Rua Augusta. É por lá que estão as principais lojas de design da cidade. Não deixe de passar na Dansk, de artigos para a casa, para se inspirar um pouco.

Também na Istedgade, está a Kyoto, loja de roupas super bacanas, que antes era focada em moda masculina, mas hoje atende tanto homens quanto mulheres. Endereço: Istedgade 95. Horário: Segunda a sexta, das 11 às 18. Sábado, das 10 às 17.

Agradecimentos especiais ao Fernando Paal e à Aline Gomes, que deixaram o guia ainda mais especial.

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

19 de January, 2015

Share

Lalai Persson

Lalai prometeu aos 15 anos que aos 40 faria sua sonhada viagem à Europa. Aos 24 conseguiu adiantar tal sonho em 16 anos. Desde então pisou 33 vezes em Paris e não pára de contar. Não é uma exímia planejadora de viagens. Gosta mesmo é de anotar o que é imperdível, a partir daí, prefere se perder nas ruas por onde passa e tirar dicas de locais. Hoje coleciona boas histórias, perrengues e cotonetes.

Ver todos os posts

Comentários

  • Oi oi! To aqui na loucura de planejar (sem muito planejamento ) minha viagem pra Copenhagen! Amei o blog, o mais completo que li até agora! Minha dúvida crucial é “compro ou não o Copenhangen Card”? Pelo o que eu vi, só de transporte eu gastaria um tanto que se juntar com meia duzia de museu e castelo, dava o preço do Card. Mas tbm ja quebrei a cara com estes cartões pra turista. Vcs acham mesmo que não vale a pena comprar? De todos os lugares que li, este foi o primeiro que eu vi dizendo que não vale tanto a pena assim! Beijão Obrigada
    - Maya
    • Oi Maya, tudo bem? Que bom que curtiu o nosso guia... podemos dar uma dica? Para você ter uma resposta mais eficaz, joga a pergunta no nosso grupo https://www.facebook.com/groups/chickenorpasta/ - lá tem pessoas morando em Copenhangen e eles vão dizer com mais propriedade do que nós, pois faz um tempinho que a gente não vai pra lá... :)
      - Lalai Persson
  • De onde vcs tiraram a informação que tem menos de 600 mil habitantes? http://denmark.dk/en/quick-facts/facts/
    - carina

Adicionar comentário

Assine nossa newsletter

Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.