De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

As boas do Carnaval 2018 em Olinda e Recife

Quem escreveu

Júlio Cavani

Data

08 de February, 2018

Share

Blocos para curtir o carnaval em Olinda e Recife

Eu Acho É Pouco sai sábado e terça sempre com uma orquestra incrível. Foto: Andrea Rêgo Barros

Existem infinitas possibilidades de caminhos para curtir o carnaval em cada um dos quatro dias e também na quarta-feira de cinzas. Um guia completo é impossível de elaborar, mas vale a pena arriscar algumas dicas com agremiações que não costumam decepcionar, seja pela música, pelo astral ou pelas fantasias dos foliões. Para ter uma visão mais geral, é possível também recorrer às programações oficiais das prefeituras de Olinda e do Recife (tem também aplicativo) ou a dicas espontâneas de foliões nas redes sociais. Aqui na nossa página estão sugestões de troças infalíveis de frevo de rua, que são a essência carnavalesca pernambucana, todas grátis, ao ar livre. As atrações musicais dos palcos estão na seção “Para Ver Shows”.

Sábado:

Perseguida pela polícia (é sério), a troça que ataca a verticaização predatória e a especulação imobiliária faz um minidesfile em meio aos 31 trios elétricos do Galo da Madrugada.
Empatando Tua Vista. Concentração no sábado às 8h da manhã no Forte das Cinco Pontas (Bairro de São José, Centro do Recife).

Para quem não vê problemas em brincar com o corpo todo melado de lama.
Bloco Mangue Beat. Concentração às 9h no Mosteiro de São Bento (Rua de São Bento, Varadouro, Olinda).

O diferencial desta troça é o desfile de passistas de frevo que dão um show à parte.
Trinca de Ás. Concentração às 9h30 no Casbah Mourisco (Praça de São Pedro, Carmo, Olinda).

Cortejo dançante banda carnavalesca que toca rock e música brasileira com pífanos.
Pife Floyd. Concentração às 10h30 na Travessa de São Francisco (Carmo, Olinda).

Clássicos do rock tocados por uma orquestra de frevo, para roqueiros mais radicais não reclamarem da folia.
Tá Bom a Gente Freva. A partir das 14h no Mosteiro de São Bento (Rua de São Bento, Varadouro, Olinda).

Uma das agremiações que mais atraem foliões nos sábados do carnaval olindese.
Ceroula. Concentração às 16h no Clube Atlântico (Praça do Carmo, Olinda).

Atualmente uma das maiores e mais vigorosas agremiações de Olinda. A segunda metade do desfile costuma ser mais legal do que a primeira.
Eu Acho É Pouco. Concentração às 16h no Alto da Sé em Olinda.

Fundada nos anos 70, tradicional homenagem ao ídolo dos Embalos de Sábado à Noite e dos Tempos da Brilhantina, ao som de frevo rasgado, com direito a boneco gigante.
Troça Carnavalesca Mista John Travolta. Concentração às 17h no Clube Vassourinhas (Largo do Amparo, Olinda).

A entidade máxima do carnaval de Olinda para ver ao vivo no meio de uma multidão impressionante.
Homem da Meia-Noite. Concentração às 23h no Largo do Bonsucesso, Olinda.

Um dos momentos mais mágicos e tradicionais do carnaval acontece no amanhecer do sábado para o domingo.
Cariri. Concentração às 4h no Largo de Guadalupe, Olinda.

O boneco do Homem da Meia Noite sai do Bonsucesso e percorre as ladeiras até encontrar o Cariri

Domingo:

Com a proposta de atrair super-heróis, este tornou-se o bloco que mais estimula os foliões a usarem criatividade e originalidade nas fantasias.
Enquanto Isso na Sala da Justiça. Concentração às 10h da manhã no Alto da Sé, Olinda.

Para frevar, sambar e declarar amor aos trabalhadores brasileiros.
I Love Cafusú. Concentração às 11h30 no Alto da Sé, Olinda.

Trocinha de uma nova geração que resgata tradições sem caretice.
A Troça. Concentração às 14h no Cine Duarte Coelho (Varadouro, Olinda).

Uma das agremiações olindenses mais clássicas vive uma ótima fase de renovação.
Elefante. Concentração às 17h. Clube das Mães (Largo de Guadalupe, Olinda).

Super-Heróis no Enquanto Isso na Sala da Justiça, que sai do Alto da Sé. Foto: Antonio Melcop

Segunda:

Encontro entre dezenas de bonecos gigantes, também conhecidos como “Bonecos de Olinda”.
Apoteose dos Bonecos. Concentração às 10h no Alto da Sé, Olinda.

A tradicional turma cachaceira do bate-bate-com-doce faz seu desfile oficial.
Pitombeira. Concentração às 10h na própria sede (Rua 27 de Janeiro, Carmo, Olinda).

Para alimentar a doideira da segunda-feira.
Encontro dos blocos Bora Mago, Bumba Meu Bowie, Pessoal da Igreja e O Sol Tá Massa.
Concentração ao meio-dia na Rua Coronel Joaquim Cavalcante (paralela à Rua 13 de Maio, no trecho entre a Ladeira da Boa Hora e a Rua Henrique Dias, Olinda).

O bloco anárquico feminista que bombou ano passado volta com tudo este ano com a Orquestra 100% Mulher.
Vaca Profana. Concentração às 14h na Praça do Jacaré (Carmo, Olinda).

Frevo apimentado e pitadas de forró com a grande orquestra do Maestro Oséas.
Boi da Macuca. Concentração às 14h no Bard do Ró (Largo de Guadalupe, Olinda).

Agremiação conceitual-filosófica e festiva que circula pelas ruas onde nada passa.
Bloco do Nada. Concentração às 14h no Pátio de Santa Cruz (Boa Vista, Centro do Recife).

A sensacional Orquestra do Maestro Lessa conduz uma farra que passeia por ruas do Bairro do Recife e do Bairro de São José.
Amantes de Glória. Concentração às 16h na Rua da Guia, Bairro do Recife, Centro.

A poderosa orquestra do Maestro Oséas conduz o Boi Macuca. Foto: Máquina 3

Terça:

Para quem perdeu no sábado, olha ela aí de novo.
Ceroula. Concentração às 16h na Rua Joaquim Nabuco, 1392, Varaduro, Olinda.

Na terça o trajeto é um pouquinho diferente, bonito de acompanhar até o final.
Eu Acho É Pouco. Concentração às 16h (local ainda não confirmado) em Olinda.

Quarta:

Essa é a farra comandada pela galera que trabalhou nos palcos durante o carnaval (roadies, técnicos, músicos, etc), com condução da Orquestra Backstage (frevo e rock com arranjo frevado).
Bloco do Case. Concentração às 16h atrás da Igreja de São Pedro (Carmo, Olinda).

Cavalos-Marinhos e Bumba-Meus-Bois reúnem-se em uma festa deslumbrante para ver, ouvir e dançar.
Encontro de Boizinhos. Encontro das agremiações na Rua da Boa Hora (Varadouro, Olinda) a partir das 19h.

Peraí que tem mais:

Reunião dos tambores de 12 maracatus unidos em um espetáculo percussivo com raízes ancestrais.
Tumaracá: Encontro de Nações. Quinta (08.02) das 15h às 20h. Grátis.
Marco Zero. Bairro do Recife, Centro.

Na quinta-feira pré-carnavalesca, sai um bloco que investiga e resgata tradições, com um percurso fascinante por antigas ruas e a presença dos incríveis dançarinos do Guerreiros do Passo.
Escuta Levino. Quinta (08.02) às 19h.
Concentração na Praça Maciel Pinheiro (Rua do Hospício, Boa Vista, Centro do Recife).

Um grande festival de coco em plena folia olindense com apresentações de 28 grupos de canto e percussão.
Polo Selma do Coco. De sábado (10.02) a terça (13.02) das 17h à meia-noite.
Praça do Carmo (ao lado dos Correios), Olinda.

Quem escreveu

Júlio Cavani

Data

08 de February, 2018

Share

Júlio Cavani

Durante três meses em Nova York em 2010, Júlio não trabalhou e nem estudou. dedicou todos os dias e noites da viagem a shows, exposições e cinemas. Na verdade, a vida dele é assim o ano inteiro, todos os anos, em qualquer cidade onde esteja. Quando trabalha, procura sempre algo relacionado a arte, filmes e música. Quando tem tempo livre, busca as mesmas coisas (ou ambientes com muita natureza). Também desenvolve os próprios projetos artísticos, influenciado por tudo o que vê e ouve. Ele ainda é conhecido por conseguir provar que sempre é possível encontrar coisas legais para fazer no Recife e por estar em vários lugares ao mesmo tempo.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.