Decoding

Tendências dos principais festivais de inovação e criatividade do mundo.

Eventos gratuitos SP por Catho

Guia semanal de eventos gratuitos para curtir em São Paulo

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Nomadismo Digital por Treviso

Trabalhando e viajando ao mesmo tempo.

Podcast Jogo do CoP

O podcast Jogo do CoP discute quinzenalmente assuntos aleatórios.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Rio24hrs

Feito com ❤ no Rio, para o Rio, só com o que há de melhor rolando na cidade.

SP24hrs

Gastronomia, cultura, arte, música, diversão, compras e inspiração na Selva de Pedra. Porque para amar São Paulo, não é preciso firulas. Só é preciso vivê-la.

Valle Nevado

Chicken or Pasta na temporada 2019 do Valle Nevado.

Flow Festival, na Finlândia, um dos mais sustentáveis do mundo

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

09 de July, 2019

Share

O Flow Festival é realizado em Helsinki desde 2004, tendo começado sua história focando no soul e no jazz. É um festival boutique que acontece no meio da capital finlandesa numa área pós-industrial bonita de tirar o fôlego. Nela, chaminés gigantescas e construções esféricas servem de cenário para criar instalações imponentes, mas áreas verdes não faltam. Em 2018 passaram 84 mil pessoas pelo festival com direito a sold out.

Há tempos o festival está na minha mira, mas somente esse ano é que rolou ir conhecê-lo. O que me leva até lá são quatro nomes: The Cure, a Robyn, meu ponto fraco do pop, a Erykah Badu e o James Blake. Além, claro, de poder finalmente desbravar o atual país mais feliz do mundo.

Robyn. Foto: divulgação facebook
Robyn. Foto: divulgação facebook

O Flow atualmente abraça várias frentes além da música. Arte, gastronomia, cinema, video art e artes performáticas, como dança contemporânea, fazem parte da programação. No line-up uma lista bem curada de artistas do indie rock ao soul e jazz, do folk à música eletrônica e experimental, do pop ao hip-hop.

Flow Festival, Helsinki, Finlândia. Foto: Petri Anttila / divulgação
Flow Festival, Helsinki, Finlândia. Foto: Petri Anttila / divulgação

Um dos principais destaques do Flow Festival é seu comprometimento com a sustentabilidade. É um dos primeiros festivais europeus a neutralizar a emissão de carbono, além de utilizar biodiesel para gerar energia elétrica. Todo o lixo gerado no festival é reutilizado e toda decoração é feita com material reciclado. A comida é baseada em alimentos orgânicos e de época, além de trabalharem apenas com produtores locais. 46% do menu é vegetariano e/ou vegano.

O Flow faz parte do Keychange, iniciativa internacional que trabalha para alcançar a equidade de gênero até 2022 tornando isso o “novo normal” no universo dos festivais de música.

A bike é um dos meios de transporte mais comum pra chegar ao Flow Festival. Foto: Eetu Ahanen / Divulgação
A bike é um dos meios de transporte mais comum pra chegar ao Flow Festival. Foto: Eetu Ahanen / Divulgação
Flow Festival, Helsinki, Finlândia - público. Foto: Andrew Taylor / divulgação
Flow Festival, Helsinki, Finlândia – público. Foto: Andrew Taylor / divulgação
Flow Festival (Helsinki, Finlândia), público. Foto: Miia Närkki / divulgação
Flow Festival (Helsinki, Finlândia), público. Foto: Miia Närkki / divulgação

Quem foi garante que o festival é impecável, com escandinavos bem vestidos, bar de champagne, instalações de arte contemporânea e cerveja a 7 euros. Não é barato, mas nada em qualquer país da Escandinávia é. São cerca de 40 restaurantes e mais de 20 bares espalhados pelo Suvilahti, a antiga usina elétrica que abriga o evento. Para fãs da alta gastronomia é possível comer bem, como no badalado Emo, que leva para o Flow um menu degustação de cinco tempos num mix da cozinha nórdica com a da Anatólia. Mas a pizza, o hambúrguer, o hot-dog e os tacos também estão presentes.

Flow Festival (Helsinki, Finlândia) - comida. Foto: Andrew Taylor / Divulgação
Flow Festival (Helsinki, Finlândia) – comida. Foto: Andrew Taylor / Divulgação
Flow Festival é também paraíso pra vegetariano/vegano. Foto: Andrew Taylor / divulgação
Flow Festival é também paraíso pra vegetariano/vegano. Foto: Andrew Taylor / divulgação
Flow Festival (Helsinki, Finlândia) - Bar de Champagne. Foto: Samuli Pentti / divulgação
Flow Festival (Helsinki, Finlândia) – Bar de Champagne. Foto: Samuli Pentti / divulgação

Durante a época em que acontece, agosto, a luz do dia segue até por volta das 22h30, o que é uma delícia quando estamos num festival. Mas atenção, há riscos de tempestades de verão. A temperatura é amena, nada de verão escaldante. A média é de 22ºC durante o dia, podendo cair para 12ºC depois, dando uma boa razão para aproveitar e curtir saunas finlandesas depois.

São sete palcos e 150 artistas se apresentando nos três dias de festival. Ele acontece entre os dias 9 e 11 de agosto. Desde 2015 o Flow tem palco assinado pelo Resident Advisor e outro pelo Red Light Radio (Amsterdã), levando para a Finlândia alguns dos DJs mais renomados e que melhor esquentam uma pista de dança da atualidade. Mas não é só nele que reside a música eletrônica. O Backyard é também animado por DJs. Alguns destaques na pista este ano são Nina Kraviz, The Black Madonna, Eva Geist, Ash Lauryn, Juliana Huxtable, Carista, K-Hand, D. TiffanyYeboyah, o duo finlandês Männikkö, a DJ Katerina fazendo b2b com Linda Lazarov, além da nossa conhecida Valesuchi. Vai ter festa ou vai ter festa? :)

Flow Festival - palco Ballon. Foto: Jussi Hellsten / divulgação
Flow Festival – palco Ballon. Foto: Jussi Hellsten / divulgação

Um dos cartões postais do Flow é o palco 360º Balloon, que apresenta showcases de world-class jazz, sonoridades africanas e folk. Ou seja, a área mais bonita abriga a essência do festival. Nele toca este ano uma das mais novas estrelas do jazz britânico, a Nubya Garcia; o principal selo da Uganda, o Niege Niege leva Kampire e Bamba Pana & Makavelin para representar a África; e ainda nomes expressivos da cena de jazz e música experimental da Finlândia, como o minimalismo experimental do trio Katu Kaiku, o embalo pop delicioso do Elifantree e o indie obscuro da Suad.

Quem gosta de novos sons, o palco Other Sound apresenta artistas mais experimentais. Coloquei na minha lista a produtora de música eletrônica Jlin, que assina várias trilhas sonoras de espetáculos de dança contemporânea e se apresenta ao lado da artista visual Theresa Baumgartner; a suíça Aïsha Devi, também produtora de trilha sonora, promete uma viagem sonora intergaláticaLanark Artefax, que tem Aphex Twin e Björk como fãs; a pianista Kelly Moran; e o artista queer e saxofonista dinamarquês Bendik Giske, que eu já vi show e me deixou sem ar.

O palco principal está bem estrelado. Além do The Cure, Robyn, Erykah Badu e o James Blake, tocam nele a atual rainha do rap Cardi B., as estrelas pop suecas Tove Lo e Seinabo Sey, a veterana e também sueca Neneh Cherry, os psicodélicos Tame Impala, o funk eletrônico da britânica NAO que faz shows incríveis, entre outros.

O palco principal do Flow Festival. Foto: Petri Anttila / Divulgação
O palco principal do Flow Festival. Foto: Petri Anttila / Divulgação

Além desse caldeirão de música boa, o Flow Festival estica sua programação na Ópera Nacional de Helsinki nos dias 7 e 8 de agosto, num warm-up para o festival com o espetáculo de dança contemporânea Autobiography Edits, assinado pelo premiado coreógrafo britânico Wayne McGregor, com trilha sonora executada ao vivo; e o show audiovisual Fractal Fantasy, dos produtores de música eletrônica e artistas visuais Zora Jones e Sinjin Hawke.

O Pink Space é um novo espaço para celebrar a diversidade, também na Ópera, com um programa mais alternativo com poesia, arte performática e instalações de vídeos. A programação focada em arte se estende numa área exclusiva do Flow com filmes, animações, video art, light art, artes visuais, sound art e street art.

Animação e curiosidade por aqui não está faltando, afinal conhecer um novo festival é sempre uma experiência excitante. E aí, quem se animou em seguir comigo para a terra do Papai Noel?

Flow Festival
www.flowfestival.com

*Foto capa: Flow Festival 2018 por Petri Anttila / divulgação

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

09 de July, 2019

Share

Lalai Persson

Lalai prometeu aos 15 anos que aos 40 faria sua sonhada viagem à Europa. Aos 24 conseguiu adiantar tal sonho em 16 anos. Desde então pisou 33 vezes em Paris e não pára de contar. Não é uma exímia planejadora de viagens. Gosta mesmo é de anotar o que é imperdível, a partir daí, prefere se perder nas ruas por onde passa e tirar dicas de locais. Hoje coleciona boas histórias, perrengues e cotonetes.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.