De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

SXSW 2018 Music: 5 shows para não perder_v2

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

09 de March, 2018

Share

Patrocínio

Estou indo ao SXSW pela primeira vez. A ansiedade e o FOMO (aka “medo de perder alguma coisa) estão a mil com tantas opções de shows e palestras para ver. Mas depois de alguns dias pesquisando, hoje eu posso dizer que tenho meus prediletos no festival, tanto de shows quanto de palestras. Compartilho aqui meus favoritos que farei tudo para não perder:

MEUTE

Eu sou da música eletrônica e sei que conheço o suficiente para falar com propriedade sobre esse gênero. Foi uma surpresa saber que o MEUTE, uma brass band de eletrônico, estará nos palcos do festival. Nada melhor do que um after blocos de carnaval, já que o MEUTE é praticamente um bloquinho de música eletrônica. Eles fazem um show oficial fechado no Friends, dia 15 de março, às 20h. Porém, a dica de ouro é pegá-los no trajeto entre a German Haus & Trade Show, no ACC, no dia 14, às 11h da manhã. Imperdível!

Curved Light

SXSW 2018: Curved Light
SXSW 2018: Curved Light – foto: divulgação facebook

Curved Light é outro que me chamou atenção na programação. O show de eletrônico (bem) experimental, que usa sintetizadores tanto para a música quanto para a iluminação, tem tudo para ser lindo e emocionante. O bônus vem no fato do show ser numa igreja. Acontece no dia 17 de março, às 21h, na Central Presbyterian Church.

Perel

SXSW 2018: Perel.
SXSW 2018: Perel. Foto: Nora Heinisch

Perel vem também de Berlim, mas foi descoberta em NY ao tocar na rádio Beats in Space, comandado pelo Tim Sweeney, e no Lot Radio, que não demorou para chamar atenção da DFA Records. O resto é história. A alemã toca nos dias 12 de março, no Barracuda; e no dia 15, no Barcelona.

Museless

SXSW 2018: Museless.
SXSW 2018: Museless. Foto: Dori Barranco

A minha aposta vai para a espanhola Museless, que tem tudo para estourar. Suas produções são marcadas pelo synthpop com canções nascidas entre Grimes e Daft Punk. Suas apresentações são acompanhadas pelo trabalho visual do artista Eric Sant. Pode ficar de olho. Ela se apresenta no CU29, no dia 16 de março, às 20h.

16 the Olympus

SXSW 2018: 16 the Olympus.
SXSW 2018: 16 the Olympus. Foto: divulgação facebook

Saindo um pouco da música eletrônica, sigo para outro gênero que amo, o jazz. A banda de fusion jazz 16 the Olympus tem tudo para acalmar esse FOMO. Eles se apresentam no Elephant Room, no dia 17 de março, às 20h.

ChihiroYamazaki+ROUTE14band

O nome é estranho, mas ChihiroYamazaki+ROUTE14band é a junção de duas bandas japonesas produzindo música pop instrumental. A banda começou sua história em 2010 e se apresenta no SXSW desde 2014. O sucesso estrondoso levou a banda para se apresentar em grandes festivais de jazz, como o Monterey Jazz Festival e Groovin Summer Festival. Além de tudo, a banda é bem divertida. Eles se apresentam também no Elephant Room, no dia 17 de março, à 1h.

Bônus: palestra para quem é da música

Preservation & Appreciation of Album Art Today – A palestra discute a arte por trás das capas de álbuns, que precisam se destacar além do online, onde tem hoje o maior consumo de música, também no offline.

How to build a music city – O painel discute como construir uma cidade tendo a música como suporte.

*Este post foi escrito pela Fernanda Mello, uma grande apaixonada por música e festivais, e autora do Blue Cheese Music.

Quem escreveu

Lalai Persson

Data

09 de March, 2018

Share

Patrocínio

Lalai Persson

Lalai prometeu aos 15 anos que aos 40 faria sua sonhada viagem à Europa. Aos 24 conseguiu adiantar tal sonho em 16 anos. Desde então pisou 33 vezes em Paris e não pára de contar. Não é uma exímia planejadora de viagens. Gosta mesmo é de anotar o que é imperdível, a partir daí, prefere se perder nas ruas por onde passa e tirar dicas de locais. Hoje coleciona boas histórias, perrengues e cotonetes.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.