De repente, China

A China nos olhos de uma carioca.

Festivais de música

Os melhores festivais de música do Brasil e do mundo num só lugar.

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Quinoa or Tofu

Restaurantes, compras, receitas, lugares, curiosidades e cursos. Tudo vegano ou vegetariano.

Roteiros 12 horas por Treviso

Explorando cidades do nascer do sol ao fim da noite.

Vamos fazer pastel de nata?

Quem escreveu

Pedro Ivo Dantas

Data

20 de July, 2018

Share

Todo mundo que já foi (ou planeja ir) a Portugal, especialmente Lisboa, conhece o pastel de nata: aquela tortinha linda, meio chamuscada, cheirosa e cremosa, que pode ser encontrada nos balcões de qualquer pastelaria que se preze, e é a-melhor-coisa-do-mundo pra acompanhar uma bica, o cafezinho português. Existem discussões intermináveis entre os entendidos pra saber qual é o melhor pastel, o original de Belém ou o da Manteigaria, mas vou dar uma dica: o melhor sempre vai ser aquele que acabou de sair do forno, quentinho e delicioso. E que melhor maneira de garantir um pastel quentinho que fazendo você mesmo?

Confeiteiros por um dia. Foto: Lisbon Food Guide

Se a idéia à primeira vista parece muito complicada, é só você se inscrever no workshop oferecido pelo Lisbon Food Guide. É tudo muito simples: a oficina acontece na Pastelaria Batalha, que fica bem em frente ao Largo dos Camões, no coração do Chiado. Quem vai te receber é o João Batalha, descendentes de uma família de confeiteiros de Mafra que chegaram em Lisboa apenas no ano passado. Seu pastel de nata levou 3º lugar na competição de Melhor Pastel de Nata de Lisboa em 2016 e 2018, ou seja, ele sabe o que está fazendo.

João em ação. Foto: Lisbon Food Guide

A pastelaria é um charme, mas é no subsolo, na cozinha, que você vai poder botar a mão na massa, primeiro preparando o creme à base de leite e gemas de ovo, e depois recheando os pastéis (por razões de tempo a oficina não inclui o preparo da massa, mas o João disse que pode ser utilizada qualquer massa folhada, inclusive a comprada em supermercados – na oficina, claro, usamos a massa preparada pela própria confeitaria).

Mão na massa! Foto: Lisbon Food Guide

Com tudo pronto é só levar as tortinhas ao forno e esperar: em alguns minutos o cheiro doce e convidativo vai preencher o ambiente. É muito legal ver os pastéis assando e caramelizando pela porta de vidro do forno. Depois vem a parte mais difícil da aula: esperar que esfriem o suficiente pra você poder dar aquela bocada! Enquanto isso se distraia conversando com o João, que fica feliz em dar mais detalhes dessa e de outras receitas – e quem sabe aproveite pra experimentar também algumas das outras iguarias da Confeitaria, como o pastel de feijão e a queijada lisboeta.

A parte mais difícil: esperar que esfriem! Foto: Pedro Ivo Dantas
Nhac! Foto: Pastelaria Batalha

A oficina acaba, é claro, com uma degustação coletiva de pastéis de nata, à maneira tradicional portuguesa: acompanhados de ginjinha. Afinal, o que melhor pra acompanhar um doce que um licor ainda mais doce? Diabetes a parte, dá pra se saciar de pastéis quentinhos, e ainda levar alguns pra casa – se sobrar alguma coisa, claro!

Você pode garantir sua vaga através desse link. Bons pastéis!

Quem escreveu

Pedro Ivo Dantas

Data

20 de July, 2018

Share

Pedro Ivo Dantas

Paraense radicado em Lisboa. Engenheiro, cozinheiro e cervejeiro, sem ordem específica de preferência. Viajante de vocação.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.