Bombay Saphire no Festival Path

Está pronto para inspirar-se, provocar-se e despertar a mais pura criatividade que existe em você? Acompanhe as novidades do Festival Path, com Bombay Sapphire!

Fit Happens

Aventura, esporte, alimentação e saúde para quem quer explorar o mundo.

Manifesto Fit Happens

Quem escreveu

Luciana Guilliod

Data

15 de April, 2018

Share

Não fazemos isso para chegar em primeiro lugar. Para ganhar dinheiro ou likes. Para ter um abdômen sarado.

Fazemos porque não conseguimos ficar parados. Porque o mundo lá fora nos chama. Porque assim nos sentimos vivos.

Queremos sentir o sol, o sal, o suor. Queremos ocupar as pistas, as ruas, as areias e as matas. Damos preferência a tudo que for outdoors, mas não dispensamos uma atividade indoors, porque não dispensamos experimentar.

Queremos viajar o mundo, mas primeiro olhamos para o nosso mundo interior. Refletimos, meditamos, nos conhecemos.

Queremos comer alimentos saudáveis – saudáveis para o nosso corpo, para o nosso planeta, para quem cultiva, para quem vende. Queremos comida saudável, com sabor e prazer. Queremos saber como e do que o alimento é feito. Se pudermos conversar com quem faz, melhor ainda.

Queremos também comer chocolate, beber vinho e ver TV largados no sofá quando a vontade bater. Porque respeitamos nosso corpo quando ele pede outras fontes de prazer e sabemos que saudável é não ser radical.

Porque o exercício é uma celebração do que nosso corpo pode fazer, e não uma punição pelas calorias que ingerimos.

Fit happens.

*Foto destaque: Noah Silliman – Unsplash

Quem escreveu

Luciana Guilliod

Data

15 de April, 2018

Share

Luciana Guilliod

Carioca da Zona Norte, hoje mora na Zona Sul. Já foi da noite, da balada e da vida urbana. Hoje é do dia, da tranquilidade e da natureza. Prefere o slow travel, andar a pé, mala de mão e aluguel de apartamento. Se a comida do destino for boa, já vale a passagem.

Ver todos os posts

    Adicionar comentário

    Assine nossa newsletter

    Vivemos em um mundo de opções pasteurizadas, de dualidades. O preto e o branco, o bom e o mau. Não importa se é no avião, ou na Times Square, ou o bar que você vai todo sábado. Queremos ir além. Procuramos tudo o que está no meio. Todos os cinzas. O que você conhece e eu não, e vice-versa. Entre o seu mundo e o meu.